E-portefólio pessoal
27 de Agosto de 2009

Com o fim de ajudar milhares de professores que se encontram deslocados longe de casa, um professor de Aveiro está a finalizar a criação de uma página de permutas de locais de trabalho de professores. Com tantos professores deslocados de suas casas, o mais provável é que se consigam arranjar permutas entre os que querem, no mínimo, ficar mais próximo de casa.
O site  referido é: http://permutas.pt.vu. Os professores que estão longe de casa que se inscrevam e procurem quem queira permutar consigo. Não se esqueçam de consultar o despacho que regulamenta as permutas entre professores - Portaria nº 622-A/92 de 30 de Junho  de 1992.
 

DIVULGUEM...

 

publicado por Diana Oliveira às 23:22
26 de Agosto de 2009

O Presidente da República promulgou ontem o diploma que prevê o alargamento da escolaridade obrigatória para 12 anos, segundo o jornal o Público. Hoje, Maria de Lurdes Rodrigues manifestou-se convicta de que este alargamento da escolaridade  decorrerá dentro do previsto e que será possível atingir os níveis de escolarização antes do limite que a lei estabelece. Declarando que "Estou convencida de que a lei será apenas um símbolo. Que é possível ainda antes de chegarmos ao limite que a lei prevê para atingirmos esses níveis de escolarização". Acrescenta ainda que  "Gostava de dirigir uma palavra de confiança aos pais, de que podem confiar nas escolas e no trabalho dos professores. O país está muito próximo dos 100 por cento na taxa de escolaridade aos 17 anos. Falta pouco. Não é necessária uma grande ampliação das escolas nem um grande aumento do número de professores. É necessário gerir os recursos existentes, redistribuí-los e garantir que o ensino se faça nas melhores condições".

Não sei o que a Sra. Ministra quererá dizer com "gerir os recursos existentes", só espero que aumentar o número de alunos por turma não seja uma medida de forma a não existir um
"grande aumento do número de professores" colocados nas escolas. O que poderia ser uma medida para diminuir o número de professores desempregados pelos vistos não consta do rol de objectivos deste novo diploma.

Por outro lado, há quem considere que esta medida traz este e outros objectivos em mente, como refere Albino Almeida, da Confederação Nacional das Associações de Pais (Confap): "Acreditamos que esta medida vai permitir aumentar o número de professores e de auxiliares. E a maior parte das escolas secundárias estão já a sofrer obras e deverão estar prepararas dentro de dois anos".

A Confederação Nacional Independente de Pais e Encarregados de Educação (CNIPE) está mais reticente dizendo mesmo que: "As salas de aula podem ser remodeladas, o que é muito bom, mas isso não significa que existam mais salas. Parece mais uma medida que não vai sair do papel, que é de difícil execução".
Bem, o que é certo é que o diploma está promulgado e estabelece o regime da escolaridade obrigatória para as crianças e jovens em idade escolar e consagra a "universalidade da educação pré-escolar para as crianças a partir de cinco anos". Agora esperemos pelas medidas subjacentes a esta promulgação...

publicado por Diana Oliveira às 17:49
14 de Agosto de 2009

O Conselho de Ministros aprovou hoje alterações ao D. R. n.º 3/2008, no que respeita às condições de realização da prova de ingresso na carreira docente. Ficam dispensados desta prova os professores que neste ano ou no ano passado tenham obtido "muito bom" ou "excelente" na avaliação de desempenho. O secretário de Estado da Educação, Valter Lemos, disse ao jornal Público,  que ficam também dispensados da primeira prova a realizar - "em princípio no próximo ano lectivo" - os docentes que tenham quatro anos completos de exercício de funções, um dos quais prestado nos quatro anos lectivos anteriores ao da prova, desde que tenham obtido uma avaliação igual ou superior a "bom". Valter Lemos afirma ainda que "o objectivo desta alteração foi de simplificar o procedimento e clarificar melhor as condições de dispensa da prova, já que muitos professores já têm anos de exercício e já existem resultados da avaliação de desempenho (...) se o professor fica aprovado na prova é porque demonstra as condições necessárias ao exercício da profissão. Não necessitamos de hierarquizar em função da prova, até porque a hierarquização existe no âmbito da avaliação de desempenho".

 

(http://educar.wordpress.com/category/carreira/page/5/)

 

"A prova escrita, que poderá ter itens de resposta fechada, passará a conter uma componente comum a todos os candidatos, sendo que os candidatos ao exercício de funções docentes nos concursos de recrutamento poderão ter ainda de realizar uma componente específica (cujas particularidades serão definidas em despacho futuro), relacionada com a sua área disciplinar. A componente comum tem a duração de cento e vinte minutos, mais trinta de tolerância, sendo as classificações expressas com "aprovado" ou "não aprovado". O secretário de Estado da Educação justifica a existência prova de competências e conhecimentos para o ingresso ou exercício de funções docentes com a ausência de um "intrumento de equalização" dos professores à entrada na carreira e porque a formação superior é "variável", assim como a própria experiência dos docentes." in http://www.educacao.te.pt/geral/index.jsp?p=16&idNoticia=7155.

publicado por Diana Oliveira às 22:04
12 de Agosto de 2009


"Integrado nas múltiplas acções do Plano Nacional de Leitura, a Biblioteca de Livros Digitais é um espaço dinamizador de iniciativas relacionadas com leitura e a escrita, que se assume como um agregado de livros de autores consagrados e aprovados pelo Plano Nacional de Leitura e, em simultâneo como um repositório de trabalhos realizados por pessoas interessadas em criar outros textos motivados pelo livro que acabaram de ler."1

Os interessados podem ver e ler esses livros. Porém quem ainda não sabe ler não é esquecido, há uma opção em que a história é contada em aúdio. Podemos tornar-nos utilizadores desta biblioteca, registar as nossas leituras e ver as leituras dos outros utilizadores. Podemos também explorar o Clube de Leituras que tem como objectivo promover a leitura. Uma curiosidade deste site é o diagrama saberes em rede:

 

 

 


1-  in https://www.portaldasescolas.pt/portal/server.pt/community/not%C3%ADcias/241/Ver%20Not%C3%ADcia?dDocName=001626&dID=10282

publicado por Diana Oliveira às 14:03
sinto-me:
28 de Julho de 2009

Segundo o jornal Público de 11 de Maio de 2009, o Ministério da Educação da Dinamarca está a ponderar permitir a utilização da internet durante os exames do ensino secundário. A ideia é usar uma ferramenta já inserida na aprendizagem dos alunos, como a calculadora gráfica, não apenas durante os estudos mas também durante a sua avaliação a nível nacional.

É certo que este uso seria vigiado de forma a evitar plágios ou conversas online com terceiros durante os exames. Serão também realizadas inspecções aleatórias ao historial de busca dos computadores dos alunos e comparações das respostas dadas com conteúdos acedidos na internet.

Os alunos reagiram positivamente a esta ideia dizendo: “É uma boa medida, já que os exames devem reflectir a realidade” disse Mina Bernardini, presidente da Associação das Escolas Secundárias Dinamarquesas ao jornal Politiken. ”Quando fazemos trabalhos ou relatórios para a escola também usamos a Internet” acrescenta.
Esta medida será testada em exames fictícios, em Outubro, e caso seja implementada, terá início em 2011. 

Esta medida poderá reflectir melhor a aprendizagem dos dias de hoje, em que vivemos rodeados pelas TIC, pois na verdade um aluno de hoje em dia já não dispensa um computador, nem a internet durante a sua vida de estudante. Contudo, penso que esta medida para ser executada tem de trazer muitos aspectos de controlo e regras de implementação para não chegarmos ao extremo de facilitismo, onde os alunos deixarão de estudar e de aprender apenas porque têm uma ferramenta útil que pode ser usada livremente.

Penso que esta sugestão não chegará muito em breve ao ensino português, pois não a viria apoiada por pais e alguns professores. Porém quando chegar deve ser bem ponderada a sua aplicação, função do Ministério da Educação e dos professores em geral.

publicado por Diana Oliveira às 16:45
27 de Julho de 2009

banner tempo

 

A FNE está a acompanhar atentamente a forma como decorre o processo de distribuição dos horários aos docentes portugueses, com a preocupação de que os limites impostos pela lei sejam sistematicamente respeitados.

 

O objectivo desta campanha é denunciar os excessos e exigir respeito pelo horário de trabalho dos educadores e professores. Para isso a FNE quer desenvolver uma recolha de exemplos que retratem o que é hoje a vida profissional de um docente português. Deste modo, é pedido que os interessados em participar informem a FNE da sua ocupação do tempo em trabalho para a escola, em uma, duas ou três semanas,utilizando para isso um formulário próprio disponível em http://www.fne.pt/temposervico

 

Para saberes mais sobre a campanha vê: http://www.fne.pt/media/video/show/id/394.

publicado por Diana Oliveira às 23:14

 

A Fenprof disse hoje esperar um início de ano lectivo «conturbado», marcado por «muita contestação» e trabalho por uma «revisão séria» do Estatuto da Carreira Docente, enquanto o Ministério da Educação critica posição «lamentável» do sindicato.
A reunião de hoje entre a Fenprof e a tutela tinha como objectivo a negociação do Estatuto da Carreira Docente, mas não houve entendimento.
Para a Fenprof, adivinha-se uma época de campanha eleitoral com muita contestação por parte dos professores. Anabela Sotaia, em declarações aos jornalistas no final da reunião, afirma que  «Para nós foi uma não revisão do Estatuto [da Carreira Docente], em que nada daquilo que pretendíamos foi acatado pelo Ministério da Educação, tudo nos foi imposto. Não houve da parte do Ministério da Educação qualquer aproximação às nossas propostas».
 
Ouve os intervenientes desta reunião em entrevista à TSF:
http://tsf.pt/paginainicial/audioevideo.aspx?content_id=1318788
 
Vê a reportagem da Sic sobre este tema:
 
 
publicado por Diana Oliveira às 19:37
26 de Julho de 2009

O "Passaporte Cultural"  foi descrito por Carlos Zorrinho, coordenador do Plano Tecnológico, como "uma resposta forte e humilde à constatação do primeiro-ministro de que Portugal devia ter investido mais na Cultura".

 

Passaporte Cultural é um programa destinado às escolas que visa garantir a presença da cultura e das actividades artísticas no sistema educativo, de uma forma faseada, desde a educação pré-escolar até ao término do ensino secundário e consiste no desenvolvimento de percursos culturais por ano escolar em que cada criança, adolescente ou jovem participa durante o seu processo educativo, entre os 3 e os 18 anos.

 

Enquadradas no âmbito do Ano Europeu da Criatividade e Inovação, estas acções, que são mobilizados de forma diferenciada pelas estabelecimentos/docentes, correspondem a seis programas por ano. Cada percurso cultural anual, que deve incluir as áreas da música, do teatro, da dança, das artes visuais, das artes audiovisuais, das artes digitais, da museologia e do património cultural material e imaterial, será registado e validado num passaporte que acumulará, durante todo o percurso escolar/formativo, experiências enquadradas num itinerário global coerente e projectadas numa óptica de enriquecimento cultural que será reconhecido por um diploma anual.





publicado por Diana Oliveira às 01:18
Setembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30
arquivos
2009:

 J F M A M J J A S O N D

2008:

 J F M A M J J A S O N D

2007:

 J F M A M J J A S O N D

RSS
Songs

musicas blog
+ Songs
últ. comentários
Como os alunos de hoje em dia são "nativos digitai...
É praticamente impossível criar um sistema impenet...
E não existe, em informática, sistemas infaliveis ...
LOL....Pena que não se possa vê-los a jogar também...
Vou experimentar misturar a minha cara com a do Br...
mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Conversas...
N.º de visitas